Super Especial de Engenharias

19 mar

Esse post já era para ter sido feito há muito tempo, há mais ou menos 2/3 semanas, mas só de lembrar que existem uns 36 tipos de engenharia, já bate aquela preguiça imensa de escrever. Mas hoje mais uma vez fui ler denovo sobre o assunto e decidi fazer esse post logo.

Como citei acima, existem milhares de tipos de engenharia, e eu pretendo trazer algumas delas hoje e as outras em outro post, porque se não iria ficar enorme. Não vou fazer todo aquele post enorme igual ao de publicidade e propaganda, então se quiserem algo mais profundo, só avisar pelos comentarios ou mandar email. Então sem mais delongas, vamos começar:

Engenharia de Petróleo – É a engenharia que estuda meios de extração, produção e comercialização de petróleo. Você pode atuar em campo de atividade petroleiros, refinarias, plataformas marítimas e petroquímicas. É trabalho do engenheiro achar meios de extração do petróleo sem prejudicar o meio ambiente e nem disperdiçar materiais. Tambem pode trabalhar em consultorias ambientais e no setor de exportação e importação, fazendo pesquisas de preços de matérias-primas ou captando compradores. O mercado está bem aquecido, está em falta de engenheiros e meninas não se preucupem, porque nem todas as áreas exigem esforço fisico.

Engenharia Nuclear – O trabalho do engenheiro nuclear é desenvolver novas tecnologias para a área nuclear. O engenheiro faz construção, equipamentos de proteção e opera os geradores nucleares. Gerencia o funcionamento e verifica se a segurança contra materiais radioativos estão sendo cumpridos. O profissional costuma trabalhar em equipes multidisciplinares, com físicos, matemáticos, químicos, geólogos e até juristas. O mercado é bastante restrito aqui no Brasil, pois só existe um reator nuclear em operação.

Engenharia Aeronáutica – É o ramo da engenharia que se ocupa do projeto e da manutenção de aeronaves e do gerenciamento de atividades aeroespaciais. O engenheiro aeronáutico envolve-se no projeto e na construção de todos os tipos de aeronave, como aviões, helicópteros, foguetes e satélites. Esse profissional é fundamental para a segurança de qualquer voo. É ele o responsável pelo processo de manutenção, pela realização de reparos e pelas inspeções periódicas da estrutura e dos equipamentos, como asas, motores e fuselagem. Cuida também dos sensores e instrumentos de controle. Além de fabricar aviões, pode gerenciar obras e serviços ligados à infraestrutura aeronáutica, como a construção de aeroportos, o planejamento de linhas e o gerenciamento de tráfego aéreo.

Engenharia de Alimentos – São as técnicas e os conhecimentos usados na fabricação, na conservação, no armazenamento e no transporte de alimentos industrializados. Esse profissional atua em escala industrial, cuidando de todas as etapas de preparo e conservação de alimentos de origem animal e vegetal. Seleciona a matéria-prima, como leite, carnes, peixes, legumes e frutas, e define a melhor forma de armazenagem, acondicionamento e preservação dos produtos, projetando embalagens. Desenvolve e testa formulações, com a finalidade de determinar o valor nutricional de alimentos industrializados, seu sabor, sua cor e sua consistência. Desenvolve tecnologias limpas e processos para aproveitamento de resíduos. O mercado de trabalho está estável.

Engenharia Naval – É a área da engenharia que cuida do projeto, da construção e da manutenção de embarcações e seus equipamentos. O engenheiro naval projeta a estrutura, os motores e os demais componentes de navios. Para isso, considera o uso a ser dado à embarcação, a quantidade de carga ou de passageiros a ser transportada, a distância a ser percorrida e o local de operação, se em rios, lagos, mares ou oceanos. Na construção, supervisiona os técnicos e os operários, verifica a qualidade da matéria-prima e os métodos de trabalho e acompanha toda a fabricação. Pode também gerenciar o transporte marítimo e fluvial, controlando o tráfego de embarcações e os serviços de comunicação. Apesar do Brasil não ter tradição em insdustrias navais, o mercado está ativo e promete aquecer ainda mais.

Engenharia Mêcanica – É a área da engenharia que cuida do desenvolvimento, do projeto, da construção e da manutenção de máquinas e equipamentos. O engenheiro mecânico desenvolve, projeta e supervisiona a produção de máquinas, equipamentos, veículos, sistemas de aquecimento e de refrigeração e ferramentas específicas da indústria mecânica. Calcula a quantidade necessária de matéria-prima, providencia moldes das peças que serão fabricadas, cria protótipos e testa os produtos obtidos. Organiza sistemas de armazenagem, supervisiona processos e define normas e procedimentos de segurança para a produção. Controla a qualidade, acompanhando e analisando testes de resistência, calibrando e conferindo medidas. Costuma trabalhar com engenheiros eletricistas, de materiais, de produção e de automação e controle, na montagem e automação de sistemas, na manutenção de aeronaves e na indústria de eletroeletrônicos. Pode dedicar-se à venda de máquinas e equipamentos. O mercado de trabalho está super ativo no Brasil.

Engenharia Física – É a aplicação de conhecimentos da Física na pesquisa e no desenvolvimento de materiais e tecnologias. É uma profissão muito nova no Brasil. A primeira turma formou-se em 2004. Com profundo conhecimento de Física, esse profissional faz a ponte entre as várias áreas da ciência e as tecnologias modernas, como os supercondutores. O engenheiro físico pode criar, desenvolver e aplicar dispositivos que utilizam raios laser em equipamentos médicos e biomédicos. Nos setores das indústrias química e petroquímica, esse profissional projeta e testa novos equipamentos. Pode atuar, ainda, nas áreas de eletrônica, ótica linear e não linear, novos materiais, energia e meio ambiente. O mercado ainda inativo pois é novo, mas promete ser bem requisitado no futuro.

Engenharia Quimíca – É a área da engenharia voltada para o desenvolvimento de processos industriais que empregam transformações físico-químicas. O engenheiro químico cria técnicas de extração de matérias-primas, bem como de sua utilização ou transformação em produtos químicos e petroquímicos, como tintas, plásticos, têxteis, papel e celulose. Desenvolve produtos e equipamentos, além de pesquisar tecnologias mais eficientes. Projeta e dirige a construção e a montagem de fábricas, usinas e estações de tratamento de rejeitos industriais. Pesquisa e implanta processos industriais não poluentes, de acordo a normatização e o desenvolvimento sustentável. O uso crescente de biocombustíveis e a instalação de usinas sucroalcooleiras no país são alguns dos fatores que aquecem esse mercado. Ou seja, o mercado está aquecido e a procura de profissionais.

Engenharia Civil – É o ramo da engenharia que projeta, gerencia e executa obras como casas, edifícios, pontes, viadutos, estradas, barragens, canais e portos. O engenheiro civil projeta, gerencia e acompanha todas as etapas de uma construção ou reforma. Sua atuação inclui a análise das características do solo, o estudo da insolação e da ventilação do local e a definição dos tipos de fundação. Com base nesses dados, o profissional desenvolve o projeto, especificando as redes de instalações elétricas, hidráulicas e de saneamento do edifício e definindo o material que será usado. No canteiro de obras, chefia as equipes de trabalho, supervisionando prazos, custos, padrões de qualidade e de segurança. Cabe a ele garantir a estabilidade e a segurança da edificação, calculando os efeitos dos ventos e das mudanças de temperatura na resistência dos materiais. Ele também pode dedicar-se à administração de recursos prediais, gerenciando a infraestrutura e a ocupação de um edifício. O mercado está super ativo em todo o país e a expectativa é que aqueça ainda mais.

Engenharia Têxtil – São as técnicas e os conhecimentos utilizados na fabricação e no tratamento de fibras, fios e tecidos e na confecção de roupas. O engenheiro têxtil projeta as instalações, os equipamentos e as linhas de produção de tecelagens e indústrias de confecção de roupas. Controla custos, processos industriais, como estamparia, tingimento, corte e costura, bem como a qualidade da matéria-prima e do produto final. Coordena o trabalho de operários e técnicos para concretizar os projetos de estilistas e designers. Com conhecimentos de marketing, pode também assessorar e orientar clientes. O mercado está fraco, pois ainda está se recuperando da crise de 2009, mas se espera uma melhora.

Engenharia Industrial – É a área que cuida dos recursos necessários à produção industrial. Esse profissional é o típico engenheiro de chão de fábrica, que acompanha de perto a implantação e a manutenção da infraestrutura industrial, como redes de água e de gás, pontes e esteiras rolantes. Ele organiza e administra as instalações industriais, desde a chegada da matéria-prima à fábrica até o controle de qualidade do produto final, seguindo o cronograma estabelecido. Esse é o especialista encarregado de fazer a ligação entre o engenheiro responsável pelo projeto de máquinas e o engenheiro de produção, que cuida da organização do trabalho. O profissional de engenharia industrial analisa custos, gerencia a mão de obra e administra o uso de equipamentos e matérias-primas. Ele pode se dedicar a diversos ramos das engenharias, como mecânica, madeireira ou química. O engenheiro industrial pode trabalhar nos setores petrolífero, cosmético, farmacêutico, de tecnologia e de autopeças, entre outros. As empresas costumam requisitar o engenheiro industrial para trabalhar na área de projetos e nas novas linhas de produção.

Lembrando que para qualquer engenharia é necessario saber o inglês. Hoje é mais do que necessario ser fluente, e saber o basico de alguma outra lingua. A maioria dos clientes, empresas, são internacionais. Não falei acima, mas o salario inicial é na faixa dos R$3.060,00. Mas não façam engenharia só por causa do salario ok?!

Ufa, que post imenso e não chegou nem na metade das engenharias, mas nesse post, eu trouxe as mais conhecidas e cursadas. Se você teve interesse em alguma e quer que eu faça um post especial para ela, só avisar.

Anúncios

6 Respostas to “Super Especial de Engenharias”

  1. Carolina Santana março 20, 2012 às 7:37 am #

    Nossa sabe quando um post vem na hora certa? Eu to super em dúvida ainda entre três cursos na faculdade e dois deles de engenharia, sei que ainda tenho tempo pra pensar mas ainda tenho que ver quando se encaixa melhor nos cursos do Senai, enfim.
    Post diferente e super esclarecedor, me ajudou bastante e não só a mim, aposto que a muitos outros que devem ter as mesmas dúvidas que eu tenho.
    Beijos

    http://oncinhazul.blogspot.com

    • Sara Silva março 21, 2012 às 2:05 pm #

      @Carolina Santana, Fico feliz de ter ajudado. Se você quiser que eu aprofunde em algum tipo de engenharia, só falar por aqui nos comentarios que eu posto.

  2. Laarissa março 20, 2012 às 5:41 pm #

    Simplismente amei esse post, me ajudou muito!!!

  3. Nathaly Santos março 21, 2012 às 1:18 pm #

    Olá 🙂
    Então.. o bom de engenharia é que você só escolhe sua especialização 2 ou 3 anos depois de ter feito a engenharia básica !
    Amiga.. comecei a facul a pouco tempo, um pouco mais de um mês.. e já tenho certeza que eu quero mesmo ser engenheira, *—* Estou amando ! E quando tiver que escolher, provavelmente escolherei a civil !

    Beijos 🙂

    • Sara Silva março 21, 2012 às 2:04 pm #

      @Nathaly Santos, eu fico mega em duvida se eu realmente faço engenharia… mas é porque tenho medo de não passar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: